Category: MARAVILHOSOS POETAS



“Orgulhosa” (cujo título correto é “A Orgulhosa”) sempre creditado a Castro Alves é de Trasíbulo Ferraz Moreira, nascido em 28 de janeiro de 1870, em Lençóis, na Chapada Diamantina, era filho do tenente Espiridião Ferraz Moreira e de d. Maria Amélia F. Moreira.

 Orgulhosa

Num Baile

Ainda há pouco pedi-te, 
Pedi-te para valsar… 
Disseste – és pobre, és plebeu; 
Não me quiseste aceitar! 
No entretanto ignoras 
Que aquele a quem tanto adoras, 
Que te conquista e seduz, 
Embora seja da “nata”, 
É plena figura chata, 
É fósforo que não dá luz!

Com a sua morte, seus amigos tiveram a iniciativa de reunir alguns de seus versos numa coletânea sob o título de Poesias, com o prefácio de Evangelista Pereira, em edição de uma gráfica da cidade de Amargosa, no interior do Estado, em 1900. De sua autoria é, ainda, o volume de contos Poliformes (1896).  poeta Trasíbulo Ferraz.

Não há fotos do autor, infelizmente.

Confira agora, todo o poema : Continue lendo

Anúncios

  • Foi Étienne Carjat, jornalista, fotógrafo e caricaturista francês quem fez as famosas fotos de Rimbaud e Charles Baudelaire. Em certa reunião literária em que Rimbaud, aos gritos, não permitia que um poeta declamasse versos tidos como ruins pelo jovem rebelde, Carjat chamou-o de crápula e foi devidamente ameaçado pelo rapaz de Charleville com uma bengala.

  • Ao chegar em Paris, Rimbaud ficou por algum tempo hospedado na casa de um amigo de Verlaine, Charles Cros. Após desentender-se com esse, Rimbaud passou a trabalhar como barman do Círculo Zutique, uma espécie de bar que só recebia artistas e poetas selecionados a dedo. Continue lendo


  • A droga da moda era o haxixe (vem do árabe e se refere à resina extraída das flores da Cannabis sativa – popularmente conhecida como maconha). Aumenta por algumas horas a percepção sensorial do usuário e pode originar câncer no pulmão, além da depressão.

  • Falava-se muito em licantropia. “Sua licantropia me faz sentir como se tivesse recebido uma baforada do esgoto”, disse Verlaine sobre o primeiro contato com Rimabud.

  • A licantropia, tão comentada  em filmes como “Crepúsculo”, é a capacidade de se transformar em lobo que um homem amaldiçoado adquire.

  • As lendas sobre lobisomens remontam à Grécia antiga, mas também são bastante disseminadas entre os povos eslavos.

  • Na linguagem psiquiátrica, o termo licantropia serve para designar indivíduos que acreditam ser animais.


Cinco poetas dos anos 70 não se enquadravam nos padrões estabelecidos pela ditadura militar.

Os versos de Ana Cristina César, Cacaso,Chacal, Francisco Alvim e Paulo Leminski usam psicodelismo e irreverência para abordar velhas angústias da alma, sensualidade, medo…

Ana Cristina César

olho muito tempo o corpo de um poema
até perder de vista o que não seja corpo
e sentir separado dentre os dentes
um filete de sangue
nas gengivas    Continue lendo


Quando começa a ficar muito bom eu ou desconfio ou dou um passo para trás. Clarice Lispector (Um sopro de vida).

Elevo-me na fonte seca e na luz fria (Um Sopro de Vida). 

 Com a ponta dos dedos não se brinca. É pela ponta dos dedos que se recebem os fluidos (A Via Crucis do Corpo).


O QUE RARAS VEZES A FORMA

REVELA.

O QUE, SEM EVIDÊNCIA, VIVE.

O QUE A VIOLETA SONHA.

O QUE O CRISTAL CONTÉM

NA SUA PRIMEIRA INFÂNCIA.

Murilo Mendes


A rua tem três tempos,

o primeiro no inverno.

De que lado amanhece, não sei,

há uma vidraça, e brilha,

e o tempo envelhece.

Somos a hora, e a luz

é o que nos devora.

De que lado anoitece, eu sei.

Há uma cruz crescendo para os lados do mar.

Lúcio Cardoso, autor de “A Casa Assassinada”


  • – Escrevia na maioria das vezes à mão, mas também usava com frequência a máquina de escrever.

  • – Ao final das cartas, costumava assinar “Carlos” ou “Drummond”. Às vezes usava “Carlos Drummond”. Raramente assinava o nome completo. Continue lendo


Um dia, quem sabe,

Ela que também gostava de bichos,

apareça numa alameda do zoo, 

sorridente,

tal como agora está no retrato sobre a mesa.

Ela é tão bela, que por certo, hão de ressuscitá-la

Vosso Trigésimo século ultrapassará o exame de mil nadas,

que dilaceravam o coração. Continue lendo


Em 31 de outubro de 1902 nascia em Itabira o poeta Carlos Drummond de Andrade. E para comemorar a data, o Instituto Moreira Salles lançou a idéia de se fazer o Dia D. Ou seja, o Dia de Drummond. A idéia é que a data faça parte do calendário cultural do Brasil, aos moldes do Bloomsday, dia que festeja em 16 de junho a vida do escritor irlandês James Joyce.

A partir de 2011, o Dia D será comemorado em todo o país, sempre no dia 31 de outubro.