Tag Archive: ESTILO



  • “A linguagem é uma razão humana que tem suas razões, e que o homem não sabe” – Claude Lévi-Strauss, antropólogo e filósofo francês.

  • “Quantas línguas um homem conhece, tantas vezes é homem” – Carlos I, imperador espanhol do Sacro império Romano, entre 1519 e 1556. Continue lendo



Em seu site o artista francês Dran explica: “como não sei escrever, prefiro fazer um  desenho” e escreve mais do que eloquentemente no print acima (série limitada de 250) intitulado “Ville Propre”.


  • Algum tempo depois de seu último encontro com Paul Verlaine(de quem tinha se tornado amante), o francês, Arthur Rimbaud, considerado um dos maiores poetas de todos os tempos, desistiu de,  escrever  resolveu trabalhar. Continue lendo


FONTE : FACEBOOK



Aceitar o castigo imerecido não por fraqueza,

mas por altivez.

No tormento mais profundo o teu gemido

trocar num grito de ódio a quem o fez.

E as delícias da carne e do pensamento

a quem o instinto da espécie nos engana

sobrepor ao generoso sentimento

 de um feição simplesmente humana.

Não tremer de medo, nem de espanto

nada pedir, nem desejar, se não

a coragem de ser um novo santo

sem fé no mundo do além do mundo e então

não derramar nenhumalágrima

que a vida não val a pena e a dor de ser vivida.

(2º Soneto – Manuel Bandeira)


'Mona Lisa' de Leonardo da Vinci (à esquerda) e cópia descoberta no Museu do Prado

 

O museu espanhol do Prado anunciou nesta quarta (1º) a descoberta de uma cópia da “Mona Lisa”, de Leonardo da Vinci, encontrada em seus depósitos. A instituição apresentou à imprensa a pintura, que esteve abandonada por décadas em um sótão, depois de sua restauração.

De acordo com um relatório sobre os detalhes descobertos pelos especialistas, publicado na revista britânica “The Art Newspaper”, o trabalho é uma cópia da pintura de Da Vinci realizado por algum de seus alunos ao mesmo tempo que o retrato original (1503-1506), no ateliê do artista italiano. Continue lendo



  • Filho de família ilustre de São Paulo, Antonio Alcântara Machado, autor de “Brás,Bexiga e Barra Funda”, compunha com Oswald de Andrade,Tarsila do Amaral e Anita Malfati a vanguarda modernista abastada, que tinha recursos para ir à Europa e absorver toda a discussão que estava em voga na época.

  • Em 1926, publicou “Pathé-Baby”, crônicas e reportagens que foram reunidas e tiveram o prefácio de Oswald de Andrade. Ali o autor já apontava para sua dupla vocação: jornalismo e literatura. Continue lendo


Éramos duas crianças

Aprendendo a ver imagens

E a ouvir sons.

 

Escandíamos as mais simples sílabas

Em malabarismos de linguagem.

 

Recebíamos com espanto

A luz dos raios catódicos

Do fundo da tela de cristal:

Puxa o fio da boca com os dedos,

Sua risada ressoa redonda,

Grande de dentes.

 

Aí , veio o bicho-papão

E tirou nosso ar.

: – (

DESCONECTANDO, POEMA DE

(E.a.Buzzo)