Tag Archive: Livros



  • Filho de família ilustre de São Paulo, Antonio Alcântara Machado, autor de “Brás,Bexiga e Barra Funda”, compunha com Oswald de Andrade,Tarsila do Amaral e Anita Malfati a vanguarda modernista abastada, que tinha recursos para ir à Europa e absorver toda a discussão que estava em voga na época.

  • Em 1926, publicou “Pathé-Baby”, crônicas e reportagens que foram reunidas e tiveram o prefácio de Oswald de Andrade. Ali o autor já apontava para sua dupla vocação: jornalismo e literatura. Continue lendo


Tudo em vermelho…
E tudo se tornou vermelho. E ele pensava que a raiva se vestia de vermelho e tudo mais. 

“Cobiçava conhecer mais palavras para nomear o incômodo perpétuo instalado pela dor.”

“Neste livro, eu trabalho a questão da memória”, disse delicadamente o mineiro Bartolomeu Campos de Queirós, no lançamento de seu “Vermelho Amargo”, em abril do ano passado. “Na memória está o vivido e o sonhado. Portanto, toda memória é ficcional”. Continue lendo



  • Helena Morley,pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant, nasceu em Diamantina,em 1880,e faleceu em 1970,no Rio de Janeiro .

  • O diário de Helena Morley foi escrito no século XIX, ao longo de três anos,e publicado quarenta e sete anos depois,com o título Minha vida de menina.

O diário costuma ser elaborado como um registro íntimo;em sua origem, não se dirige a outra pessoa,o seu destinatário primeiro é o próprio autor


“Quanto mais rápido escrevo, melhor eu escrevo. Se estou muito devagar, estou em apuros. Significa que estou empurrando as palavras em vez de estar sendo empurrado por elas.” Raymond Chandler Continue lendo


“É um cubo mágico. Memórias e conceitos detonam movimentos internos. Imagens substituem blocos coloridos e clicam em coesão. Colunas conectam. Linhas surgem. Você pega o que precisa e o que você foi e passa tudo pelo filtro do que você se tornou. Você impõe ordem. Você joga uma cereja no bolo. Se você é talentoso e honesto e puro, tudo funciona (…)

“Escreva bêbado, edite sóbrio.” Ernest Hemingway Continue lendo


“(…)O 12º romance de  Edmund  White foca uma categoria de amizade que não é tratada com frequência: o relacionamento de toda uma vida entre um heterossexual, Will Wright, e seu amigo gay da faculdade, Jack Holmes. Continue lendo


Patti Smith e Robert Mapplethorpe não ficaram juntos por muitos anos. Ele assumiu sua homossexualidade e viveu paixões. A principal foi pelo homem que seria o mecenas até o fim da vida. Continue lendo


Leia trechos de cartas para Carlos Drummond de Andrade

Carlos Drummond de Andrade se correspondeu com muita gente, de todo o país, durante toda a vida.

A partir de pesquisas no acervo do poeta na Fundação Casa de Rui Barbosa, no Rio, a Folha localizou amostras preciosas dessa produção, seja com interlocutores mais célebres, como Graciliano Ramos, Cecília Meirelles, Carlos Lacerda, Dalton Trevisan e Chico Buarque, a vários nem tão ilustres assim.

Evitou-se investigar a troca epistolar mais conhecida de Drummond, com escritores como Mário de Andrade, Manuel Bandeira e João Cabral, justo porque parte dela já foi bem explorada, inclusive com livros editados a respeito.

Leia a seguir trechos de cartas entre o poeta mineiro e alguns dos seus centenas de “amigos postais”. Continue lendo


  • Dona de um rosto sedutor e de um olhar felino, um irreconhecível sotaque estrangeiro e uma postura de diva de cinema.

  • É esta a imagem que temos de uma das grandes damas da literatura brasileira, Clarice Lispector. Continue lendo


  1. Em Algum Lugar do Paraíso – em 41 crônicas, Luis Fernando Veríssimo dá vida a personagens do cotidiano um maître de um restaurante falido e um filósofo que conversa com seu cachorro. Tempo,liberdade,amor , vida e morte são os temas que norteiam essa obra de um dos maiores cronistas brasileiros da atualidade.Editora Objetiva Continue lendo