Esta noite,

Jardim de serpentes

Que me devoram os pés

Vai gerar o amante.

Ele,

Sem nome ou tessitura,

Ateará agulhas em brasa

E uma única palavra

Sobre meu torso.

Fere-me de asas, sim?

Cega-me.

E em torno de mim

Apenas o real,

Mar de estanho.

 

(M.Verunschk )

 

Anúncios