Quando morreu, em 1935, aos 47 anos, Fernando Pessoa tinha apenas um livro de versos em português, “Mensagem” (1934), e alguns poemas espalhados pela imprensa. Foi o suficiente para ser saudado como o “grande poeta de Portugal”.

Nas décadas seguintes, contudo, descobriu-se que isso era apenas uma ínfima parte da produção de Pessoa. Além de um conjunto de textos inéditos, veio à tona que os heterônimos iam muito além dos já conhecidos Alberto Caeiro, Ricardo Reis e Álvaro de Campos.

Esse baú secreto ganha agora as páginas da “Fotobiografia de Fernando Pessoa”, livro com texto do americano Richard Zenith, especialistas em Pessoa, e organizado pelo português Joaquim Vieira.

O livro reúne mais de 400 imagens, incluindo fotos raras do poeta, sua família e amigos, além de manuscritos, diários, documentos, cartas e recortes de jornais.

Fonte Folha Online