‘Fonte de mel/ nos olhos de gueixa/kabuqui, máscara’. Muita gente, ao ouvir esses versos da canção Você é linda, de Caetano Veloso, já deve ter se perguntado: o que raios quer dizer kabuki

Kabuqui, em japonês, é o nome de um gênero teatral que floresceu no século XVII e que se conserva bastante popular (muitos atores contemporâneos que trabalham com esse gênero são também famosos na televisão e no cinema japoneses).

Em português, o termo ganhou a grafia cabúqui. Nas peças desse gênero teatral, que intercalam diálogos e partes cantadas e dançadas, todos os atores são do sexo masculino e usam maquiagens coloridas e sofisticadas.

A ausência de atrizes remonta ao século XVII, quando o governo japonês havia proibido a participação de mulheres no teatro (a justificativa era a de que muitas delas também prostituíam-se).

Para manter a tradição, o teatro cabúqui conta até hoje com os onngatas (atores especializados em interpretar papéis femininos). Há três variedades do teatro cabúqui: os dramas históricos (jidai-mono), que são tragédias ambientadas no antigo sistema feudal japonês, os dramas cotidianos (sewa-mono), que fazem referência aos fatos contemporâneos diários e as peças que destacam a dança (shosagoto).