“A nossa casa era miserável.

Por que eles a bombardearam?

Quero saber se os médicos vão me dar braços novos.

Se eu não recuperar as minhas mãos, vou me matar.

Era meia-noite quando um míssil caiu sobre nós. O meu pai, a minha mãe e o meu irmão morreram.

A minha mãe estava grávida de 5 meses.”

(Comovente relato do menino Ali Ismael Abas , de 12 anos, que se tornou símbolo das atrocidades contra a população iraquiana durante a guerra)