Tarde da noite,Robin deitado numa confortável cama de casal, num dos quartos da Mansão Wayne em Hollywood, toda decorada com Super-heróis.Veste apenas a máscara e uma ridícula mini-cueca com morceguinhos cor-de-rosa. O quarto está na penumbra. Na vitrola toca “Batdance” do Prince.

De repente, fazendo o maior barulho, acendendo todas as luzes, entra Batman abatido,roupa amassada com rasgões nos ombros,com sangue seco no nariz e canto da boca.

Robin : – Santa madrugada Batman,isso são horas de chegar em casa?

Batman: – Credo, tira esta prostituta sudanesa dai, põe um disco da Gal,ai, eu adoro a Gal.

Robin: – Você sabe que não suporto esta perua brasileira.Mas não muda de assunto.Onde você esteve sua bat-galinha? Posso apostar que estava outra vez com o Coringa.Você não pensa um pouco em mim? Me deixa aqui sozinho nessa mansão enorme e fica por aí galinhando pelas ruas de Gothan City. Bem que mamãe me disse para aceitar o convite eir trabalhar com o Capitão América.

To be Continued…

Obra produto de total imaginação,por João Renato Scóz.

Anúncios