“Meu céu está cinza.

Coce minhas costas .

E desfaça meus cachos,você mesmo,estranho.

E me diga o que se passa em sua cabeça.

Diga-me coisas simples, diga-me o que uma mulher gostaria de ouvir.

[…]Diga-me o que Adão disse em segredo para si mesmo.

[…]Fale que duas pessoas,como eu e você, poderia suportar toda essa semelhança entre a névoa e a miragem, e retornar em segurança.

Meu céu está cinza; o que você pensa quando o céu se acinzenta?”

(Trecho do poema “Dois pássaros estranhos no mesmo galho” de Mahmoud Darwish, poeta palestino.

Anúncios