AS CARTAS DA JUVENTUDE DO ESCRITOR ERNEST HEMINGWAY

Todos os heróis estão mortos.E os verdadeiros heróis são os pais.(…)Quando uma mãe traz um filho ao mundo, ela deve saber que ele um dia morrerá.E a mãe cujo filho morrer por seu país deveria ser a mulher mais orgulhosa do mundo, e a mais feliz. Como é melhor morrer na era feliz da da juventude ainda não desiludida, ir-se num clarão,do que ter o corpo desgastado e envelhecido por ilusões despedaçadas.”

(Para a família,18 de outubro de 1918)

“Se as garotas da nossa cidade pudessem me ver no meu uniforme,eu temo que os homens ficariam sem as esposas.Ainda que, para apreciar minhas cicatrizes,eu precisasse ficar sem calças ou costurá-las até os joelhos(…)Querida Ivory,ligue para todas as minhas gatinhas e diga que o mestre mateiro, agora conhecido como Herói do Piave, tem por elas amor imortal.”

(Para a irmã,8 de agosto de 1918)

Ernest Hemingway matou-se em 2 de julho de 1961,com 62 anos incompletos. Matou-se com uma espingarda de cano duplo,assim como seu pai.Antes de morrer, implorara à última mulher para não publicar suas cartas. A viúva trouxe a público 600 de suas cartas.

Anúncios