Todos as manhãs um homem

levanta as paredes de sua casa.

Sobe nos andaimes; o sol brilha em sua pele.

Embaixo, seus filhos brincam com a areia.

Está sozinho.

Talvez pense na mulher que teve

ou na época em que foi feliz.

Quando termina seu trabalho

recolhe suas ferramentas

e volta pelo mesmo caminho que chegou.

Poema de Horacio Preller, poeta e ensaísta argentino. Tradução de Ronaldo Cagiano

Anúncios