BILL HALEY E ELVIS PRESLEY

“De uma vez por todas: o rock está morto. Mais morto que os anos 80. Mais morto que Liberace. Mais morto que o pênis papal. Morto. Bill Haley, o primeiro astro branco do rock, surgiu, virou merda e se foi, e isso antes do verão de 1954. Em outras palavras: o ciclo estava completo, a besta do rock’n’roll estava domada para o circo das massas, antes que Elvis – outro filho da puta morto – surgisse.”

“Estamos nos anos 90, o que quer que isso signifique, e essa merda de cultura do rock’n’roll ainda nos atormenta. Olhe bem para a careca de Paul Shafer. Isso é o rock’n’roll hoje: uma banda de bar mitzvah liderada por um careca cretino (olhe debaixo do chapéu de Dion e você encontrará algo quase tão ruim: religião). É muzak no elevador para a meia-idade.”

“’We Are the World’ não é rock’n’roll. É o som da revista ‘Time’ chorando. Talvez o rock de verdade seja impossível, numa época de sexo seguro, quando a juventude da América está mais interessada no venal do que no venéreo.”

Trechos  do livro  “Save the Last Dance for Satan” (“Deixe a Última Dança para Satã”) de Nick Tosches

Anúncios