No auge de sua juventude, Lord Byron deu uma festa temática em sua casa que durou alguns dias. Para o deleite dos convidados, contratou prostitutas e pediu que os presentes se vestissem como monges.

O festejo foi envolto em atividades como treinos com pistolas, esgrima, equitação e brincadeiras com o urso e o lobo de estimação. Na hora de beber o Burgundy, tipo de vinho francês, o anfitrião serviu o líquido em crânios humanos que encontrou na cripta localizada nas propriedades da família.

O episódio, assim como toda a trajetória de um dos mais controversos e talentosos poetas da língua inglesa, é contado no livro “BYRON APAIXONADO”(Bertrand Brasil, 2011), da escritora Edna O’Brien.

Byron fez parte da nobreza decadente da Inglaterra e foi perseguido por amar tanto homens como mulheres. Um dos maiores escândalos com o seu nome se deu quando foi acusado de se envolver com a própria irmã.

No volume, Edna O’Brien mostra como o artista, conhecido por sua beleza e pela personalidade forte, desenvolveu seu talento nas letras, principalmente nos versos, explica sua necessidade intensa de estar apaixonado e como o fato de ter nascido com uma deformação no pé afetou sua infância e a vida adulta.

Anúncios