Vera Christiane Felscherinow comprou seu bilhete para o vício pagando apenas pelas drogas “triviais” – haxixe e LSD entre elas -, mas desembarcou na irreversível coqueluche europeia: a heroína ou, simplesmente,”H”.

Seu debute foi após ver um show de David Bowie. Eu,Christiane F. é baseado em depoimentos dados pela adolescente alemã a Kai Hermann e Horst Rieck, repórteres da revista Stern.

Nessa nova tiragem do notório best seller que chocou no final da década de 70, a capa é estampada, pela primeira vez, com uma foto da “lolita junkie”.

Para saciar a “fissura” dos curiosos, o volume traz retratos dos parceiros de pico de Christiane, incluindo até um ex-namorado.

O testemunho ainda choca, porém, perto da atual tragédia brasileira, refém da nefasta dobradinha crack/oxi, está mais para a fábula de “Cinderela do submundo”.

Texto de Cristiano Bastos para a Revista Rolling Stone Brasil

Anúncios