“As mães nos fazem sangrando

e nos prendem a vida toda

por uma tira de carne viva.

Somos educados em gaiolas.

Vivemos mastigando pedaços

de seios arrancados sangrando

que penduramos na borda dos berços.

Temos sangue no corpo todo

e como não gostamosde vê-lo

fazemos correr o dos outros.

Um dia,não haverá mais.

Seremos livres.

Poema de Boris Vian que infelizmente morreu aos 39 anos no meio da sessão de cinema de seu livro Vou Cuspir Sobre seu Túmulo. Era junho de 1969.

Anúncios